Arinwa

Início Terrorismo

TERRORISMO

O terrorismo cobre uma vasta gama de ameaças complexas. Concentramo-nos na identificação de terroristas e no combate preventivo às suas actividades.

#1 Métodos, telemóveis e dinheiro.

Compreender estes diferentes elementos e partilhar informação sobre eles é essencial para identificar os terroristas e perturbar as suas actividades.

#2 Medir, detectar e derrotar

Estes conceitos estão no centro da nossa formação policial sobre a utilização de materiais químicos para cometer atentados terroristas.

O terrorismo cobre uma vasta gama de ameaças complexas: terrorismo organizado em zonas de conflito, combatentes terroristas estrangeiros, “lobos solitários” radicalizados, ou ataques químicos, biológicos, radiológicos, nucleares e explosivos.

  – Redes terroristas

Grupos terroristas em todo o mundo estão a atrair pessoas, muitas vezes jovens, das suas casas para zonas de conflito, principalmente no Iraque e na Síria, e cada vez mais na Líbia. A forma como os novos recrutas são visados e depois radicalizados mudou com o aumento dos meios de comunicação social e outros canais de comunicação digital.

Os dados biométricos estão a tornar-se cada vez mais importantes na identificação de combatentes terroristas estrangeiros e na prevenção da sua travessia das fronteiras. Também encorajamos o intercâmbio de dados recolhidos em zonas de combate entre os militares e a polícia.

Através da INTERPOL, as autoridades policiais de todas as regiões do mundo podem partilhar informações e alertas sobre redes terroristas transnacionais para melhor compreenderem os seus métodos, motivos e financiamento, e assim identificar e prender suspeitos.

  – CBRNE

Os ataques terroristas utilizando materiais CBRNE (químicos, biológicos, radiológicos, nucleares e explosivos) podem ter consequências devastadoras para as pessoas e infra-estruturas.

Estamos a ajudar os nossos países membros a prevenir, preparar e responder a tais ataques, o que requer prevenção e resposta coordenadas pelos vários serviços envolvidos, incluindo autoridades policiais, alfândegas, controlo de fronteiras, profissionais de saúde pública, militares, e serviços de inteligência e gestão ambiental.

Fazemo-lo através de três alavancas: partilha de informação e análise de inteligência, desenvolvimento de capacidades e formação, e apoio operacional.

Estas actividades estão em conformidade com a Resolução 1540(2004) do Conselho de Segurança da ONU, que reconhece a natureza essencial dos controlos e policiamento das fronteiras para evitar a proliferação de armas químicas, biológicas e nucleares, bem como o seu desvio por agentes não estatais.

This website uses cookies and asks your personal data to enhance your browsing experience.